SÃO SEBASTIÃO PADROEIRO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

19/01/2013 20:00

No dia 20 de janeiro, a cidade do Rio de Janeiro celebra a festa de seu padroeiro, São Sebastião.

(Reza a lenda que, na batalha final que expulsou os franceses que ocupavam o Rio, São Sebastião foi visto de espada na mão entre os portugueses, mamelucos e índios, lutando contra os franceses calvinistas. Além disso, o dia da batalha coincidiu com o dia do santo, celebrado em 20 de janeiro. São Sebastião é o protetor da Humanidade contra a fome, a peste e a guerra.)

Sebastião viveu no século III.  Era milanês de nascimento e capitão da guarda pretoriana em uma época onde a perseguição aos cristãos era comandada com fúria intensa pelo imperador romano Diocleciano.  O Cristianismo ainda estava em seus primórdios, a Igreja vivia escondida em catacumbas, fugindo do Império Romano. Quando se converteu à fé cristã, Sebastião recusou-se a prestar culto ao Imperador, como todos os seus companheiros e companheiras.

Porém, apesar de cristão, gozava da amizade do imperador e aproveitava-se disso para, às escondidas, converter os soldados e prisioneiros exercendo intensa atividade apostólica.. Quando o imperador descobriu suas atividades, sentiu-se profundamente traído e, irado, mandou que matassem Sebastião a flechadas.  Conta-se, que apesar de bastante ferido, o santo não morreu e teria sido socorrido por uma mulher viúva, de nome Irene (que em grego significa paz) que cuidou de seus ferimentos até que ele ficasse totalmente recuperado.

O santo, então, voltou às suas atividades apostólicas e, corajosamente, compareceu diante do imperador para denunciar suas crueldades.  Diocleciano, sentindo-se extremamente ultrajado com a atitude de Sebastião, ordenou que seus soldados o espancassem até à morte, da qual, desta vez, ele não conseguiu escapar.

Sebastião é popularmente conhecido como padroeiro da cidade do Rio de Janeiro e também como santo protetor contra epidemias, pois dos registros de sua canonização, constam relatos sobre pedidos feitos ao santo para livrar diversas regiões na Europa assoladas por doenças contagiosas que desapareceram após as orações do povo.  Não há registro na sua história sobre o porquê disso, parece-me que é simplesmente devoção popular, que nasceu durante o seu processo de canonização, onde estão atribuídas diversas curas milagrosas e extermínios de epidemias que aconteciam na Europa.
 
Sebastião é um mártir do Cristianismo. A palavra mártir vem do grego mártir, e quer dizer 'testemunha'.  O mártir, segundo a tradição cristã, é uma pessoa que sofreu tormentos, torturas ou a morte por sustentar a fé cristã, alguém que confessou sua fé até o fim e sem medo e morreu por causa disto. É uma pessoa que sofre tormentos ou a morte por causa de suas crenças ou opiniões.  É alguém que se sacrifica, sofre ou perde a vida por um trabalho, experiência, etc.  É uma pessoa que sofre, que padece muito, perdendo inclusive a vida para mostrar aos outros clara e fielmente qual é sua fé e quem é seu Senhor.

Na história do Cristianismo há inumeráveis exemplos de homens e mulheres que, como Sebastião, deram a vida pela fidelidade a Jesus Cristo e à fé em sua pessoa.  E não somente nos tempos da Igreja Primitiva, mas hoje também, encontramos estas testemunhas que iluminam o caminho e vão ser causa da conversão de muitos outros.  Muitos descobriram a fé por meio da devoção a São Sebastião. Seu testemunho diante da cidade dita Maravilhosa e que sofre em meio a tantos flagelos deve nos lembrar a capacidade de reerguimento, a ressurreição que Deus promete a seus filhos.

Neste momento, em que todo Estado do Rio de Janeiro sofre com a tragédia das chuvas em sua região serrana, peçamos ao padroeiro da capital que interceda a Deus por tantos e tantas que sofrem com as perdas e com a destruição. Peçamos que o martírio de Sebastião seja consolo para este momento de profunda dor.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!