Conheça a história do Arco Metropolitano BR 493, que ira trazer o progresso para Seropédica

26/01/2013 19:30

O Arco Metropolitano do Rio de Janeiro (AMRJ) é composto por trechos de rodovias perpendiculares aos grandes eixos rodoviários que convergem para o município do Rio de Janeiro e atravessam a Baixada Fluminense – notadamente a BR-101/RJ Sul, BR-116/RJ Sul, BR-040/RJ, BR-116/RJ Norte e BR-101/RJ Norte. A proposta do AMRJ apóia-se em três funções básicas: a integração do Porto de Itaguaí à malha rodoviária nacional; ligação entre os cinco eixos rodoviários beneficiados pelo projeto sem a necessidade de conexão via Avenida Brasil e Ponte Presidente Costa e Silva, desviando assim o fluxo de tráfego das principais vias de acesso à capital; e aumento de acessibilidade aos municípios próximos ao AMRJ e que concentram grande contingente populacional, em particular Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Nova Iguaçu e Seropédica. Tinha previsão de conclusão em 2010 e sendo defendido pelas entidades empresariais desde a década de 1990, o Arco tem o potencial de se tornar um corredor de desenvolvimento, com seus reflexos positivos logísticos e sócio-econômicos afetando não só o Rio de Janeiro mas também outros estados brasileiros.
A obra será o ponto de ligação entre cinco rodovias federais, uma ferrovia e a ligação com vários pólos industriais de grande porte que estão sendo implantados na região com o Porto de Itaguaí, proporcionando grande valorização de toda área, que está sendo considerado o grande complexo siderúrgico do Rio, representado pela CSA Thyssen Krupp, na Zona Oeste do Rio. Na outra extremidade do Arco metropolitano estará sendo construído o Comperj – Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – em Itaboraí, na Região Metropolitana. O governo do Estado quer coordenar todos os planos diretores dos municípios envolvidos direta ou indiretamente com a rodovia para promover um desenvolvimento integrado da região. Em 2009, com as obras já iniciadas, foram encontrados 22 sítios arqueológicos, o que levou ao atraso das obras para que todos os sítios pudessem ser catalogados, e os materiais encontrados, preservados. Apenas um sítio será mantido, os demais deverão somente ter o material removido para museus. Também, por algumas vezes, as a obra esbarra na questão ambiental.Em 2009, uma espécie rara de perereca foi descoberta na região da Floresta Nacional Mario Xavier, também no trajeto do Arco. Para evitar a extinção do animal, a solução encontrada foi erguer um viaduto sobre o lago onde se reproduz a perereca. A previsão de inauguração seria em dezembro de 2010, mas até a presente data 26/01/2013 não existe uma previsão concreta.

BREVE HISTÓRICO:
• 1974 - passou a integrar o Plano Rodoviário Estadual (PRE) como RJ-109, rodovia planejada do trecho entre a BR 040 e a BR 101 (Sul)
• 1977 e 1984 - O Estado contratou projeto de Engenharia para a RJ 109.
• 2006 - A idéia do ARCO RODOVIÁRIO foi consagrada pelo GOVERNO FEDERAL com a finalidade de implementar uma ligação rodoviária entre Itaboraí e Itaguaí.
•2007 - a implantação do Arco Rodoviário é inserida no PAC – Plano de Aceleração do Crescimento.
A área de influência que mais irá utilizar o Arco, em termos de quilômetros percorridos, é a servida pela BR-101 Norte, que utilizará um total de 118 km em três trechos do Arco (A, D e C). Em ordem decrescente vêm as regiões atingidas pela BR-116 Norte, utilizando os trechos D e C e percorrendo 93 km dentro do Arco; a BR-040, percorrendo o trecho C e usando 71 km; a BR-116 Sul, da qual os veículos provenientes utilizarão parcela do trecho C, num total de 22 km; e a BR-101 Sul, a menos impactada pelo Arco, a partir de onde os veículos de carga percorrerão o trecho B, de apenas seis quilômetros, até Itaguaí. Deve-se ressaltar ainda que o Arco também será uma via importante para os fluxos interestaduais, como aqueles com origem no Sul do país para Belo Horizonte e para todo estado de Minas Gerais e Espírito Santo, além do Nordeste.

MUNICÍPIOS ATRAVESSADOS PELO ARCO RODOVIÁRIO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO:
•ITABORAÍ
•GUAPIMIRIM
•MAGÉ
•DUQUE DE CAXIAS
•NOVA IGUAÇU
•JAPERI
•SEROPÉDICA
•ITAGUAÍ.

•População dos Municípios:
•2,2 MILHÕES DE HABITANTES EM 2009 HOJE ESTA EM TORNO DE 2.8 MILHÕES DE HABITANTES

FUNCIONALIDADES DO ARCO RODOVIÁRIO
# atende ao tráfego de longa distância oriundo das regiões SUL/SUDESTE em direção às regiões NORTE/NORDESTE do país.
# conecta as rodovias federais atravessadas, BR-040, BR-116 (Norte e Sul), BR-465 e BR-101 (Norte e Sul).
# desvia o tráfego de veículos comerciais de longa distância, aliviando os principais corredores metropolitanos, tais como a Avenida Brasil, Ponte
Rio-Niterói, BR-101 (entre Manilha e Ponte).
# amplia a acessibilidade aos Portos de Itaguaí e Rio de Janeiro.
# viabiliza a implantação de terminais logísticos, com redução dos tempos de viagem e custos de transportes, bem como a distribuição destas cargas para os mercados consumidores.
# introduz novos vetores de expansão urbana para os municípios localizados em sua área de influência.

ETAPAS DO PROJETO:
Contorno Rodoviário da Cidade do Rio de Janeiro, com cerca de 146km em pista dupla.

Solenidade de início das obras em 12/05/2008:
Recursos na ordem de R$ 700 milhões serão aplicados pelo DNIT
O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o Ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, acompanhados do Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, do Diretor–Geral do DNIT, Luiz Antonio Pagot, e demais autoridades, participaram na tarde desta segunda-feira (12), na cidade do Rio de Janeiro, da solenidade de assinatura da ordem de serviço que autoriza as obras de implantação do primeiro trecho do Arco Rodoviário do Rio de Janeiro.
O empreendimento, orçado em R$ 928 milhões, faz parte de um convênio assinado entre os governos federal e estadual que prevê a implantação do trecho de 70,9 quilômetros entre o entroncamento da BR-101, próximo ao Porto de Itaguaí, até a BR-040. Do valor total da obra, R$ 700 milhões serão investidos pelo Governo Federal por meio do DNIT, e os R$ 228 milhões restantes serão aplicados pelo Governo do Estado, responsável pela execução da obra.
O Arco Rodoviário (BR-493) ligará o Porto de Itaguaí ao trecho da BR-101, em Manilha, contornando a Baia de Guanabara. Com conclusão prevista para o final de 2010, essa obra criará corredor de transporte que irá retirar das vias urbanas da capital fluminense todo o tráfego de caminhões pesados, com direção ao Porto de Itaguaí ou ao litoral norte do Estado.

QUESTÃO ARQUEOLÓGICA:
Construção do Arco Metropolitano leva à descoberta de 22 sítios arqueológicos na Baixada
RIO - A abertura de estradas para criar o Arco Metropolitano, que ligará o município de Itaboraí ao Porto de Itaguaí, revelou uma preciosidade histórica: ao longo de 72 quilômetros dos 145 que terá a nova rodovia, foram descobertos 22 sítios arqueológicos.
Eles são os primeiros registros do início da ocupação da Baixada Fluminense e comprovam que ali viveram índios, escravos e colonizadores. Pesquisadores do Instituto de Arqueologia Brasileira (IAB) correm contra o tempo e contra as máquinas pesadas das
obras para resgatar o máximo possível antes que o progresso passe literalmente por cima da história.
Peças de cerâmicas e ferro dos séculos XVII e XVIII; uma urna funerária, da tradição Una, os mais antigos ceramistas do litoral brasileiro; cachimbo africano, entre outros itens, comprovam que as áreas arqueológicas da Baixada vão do período pré-histórico ao
colonial.

Arco Rodoviário Metropolitano do Rio de Janeiro [Thread Oficial]


O Arco Metropolitano do Rio de Janeiro (AMRJ) é composto por trechos de rodovias perpendiculares aos grandes eixos rodoviários que convergem para o município do Rio de Janeiro e atravessam a Baixada Fluminense – notadamente a BR-101/RJ Sul, BR-116/RJ Sul, BR-040/RJ, BR-116/RJ Norte e BR-101/RJ Norte. A proposta do AMRJ apóia-se em três funções básicas: a integração do Porto de Itaguaí à malha rodoviária nacional; ligação entre os cinco eixos rodoviários beneficiados pelo projeto sem a necessidade de conexão via Avenida Brasil e Ponte Presidente Costa e Silva, desviando assim o fluxo de tráfego das principais vias de acesso à capital; e aumento de acessibilidade aos municípios próximos ao AMRJ e que concentram grande contingente populacional, em particular Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Nova Iguaçu e Seropédica. Com previsão de conclusão em 2010 e sendo defendido pelas entidades empresariais desde a década de 1990, o Arco tem o potencial de se tornar um corredor de desenvolvimento, com seus reflexos positivos logísticos e sócio-econômicos afetando não só o Rio de Janeiro mas também outros estados brasileiros.A obra será o ponto de ligação entre cinco rodovias federais, uma ferrovia e a ligação com vários pólos industriais de grande porte que estão sendo implantados na região com o Porto de Itaguaí, proporcionando grande valorização de toda área, que está sendo considerado o grande complexo siderúrgico do Rio, representado pela CSA Thyssen Krupp, na Zona Oeste do Rio


Porto de Itaguaí

Na outra extremidade do Arco metropolitano estará sendo construído o Comperj – Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – em Itaboraí, na Região Metropolitana. O governo do Estado quer coordenar todos os planos diretores dos municípios envolvidos direta ou indiretamente com a rodovia para promover um desenvolvimento integrado da região.
Em 2009, com as obras já iniciadas, foram encontrados 22 sítios arqueológicos, o que levou ao atraso das obras para que todos os sítios pudessem ser catalogados, e os materiais encontrados, preservados. Apenas um sítio será mantido, os demais deverão somente ter o material removido para museus. Também, por algumas vezes, as a obra esbarra na questão ambiental. A previsão de inauguração é em dezembro de 2010.

BREVE HISTÓRICO:
• 1974 - passou a integrar o Plano Rodoviário Estadual (PRE) como RJ-109, rodovia planejada do trecho entre a BR 040 e a BR 101 (Sul)
• 1977 e 1984 - O Estado contratou projeto de Engenharia para a RJ 109.
• 2006 - A idéia do ARCO RODOVIÁRIO foi consagrada pelo GOVERNO FEDERAL com a finalidade de implementar uma ligação rodoviária entre Itaboraí e Itaguaí.
•2007 - a implantação do Arco Rodoviário é inserida no PAC – Plano de Aceleração do
Crescimento.
A área de influência que mais irá utilizar o Arco, em termos de quilômetros percorridos, é a servida pela BR-101 Norte, que utilizará um total de 118 km em três trechos do Arco (A, D e C). Em ordem decrescente vêm as regiões atingidas pela BR-116 Norte, utilizando os trechos D e C e percorrendo 93 km dentro do Arco; a BR-040, percorrendo o trecho C e usando 71 km; a BR-116 Sul, da qual os veículos provenientes utilizarão parcela do trecho C, num total de 22 km; e a BR-101 Sul, a menos impactada pelo Arco, a partir de onde os veículos de carga percorrerão o trecho B, de apenas seis quilômetros, até Itaguaí. Deve-se ressaltar ainda que o Arco também será uma via importante para os fluxos interestaduais, como aqueles com origem no Sul do país para Belo Horizonte e para todo estado de Minas Gerais e Espírito Santo, além do Nordeste.
MUNICÍPIOS ATRAVESSADOS PELO ARCO RODOVIÁRIO METROPOLITANO DO RIO DE JANEIRO:
•ITABORAÍ
•GUAPIMIRIM
•MAGÉ
•DUQUE DE CAXIAS
•NOVA IGUAÇU
•JAPERI
•SEROPÉDICA
•ITAGUAÍ.
•População dos Municípios:
•2,2 MILHÕES DE HABITANTES


FUNCIONALIDADES DO ARCO RODOVIÁRIO
# atende ao tráfego de longa distância oriundo das regiões SUL/SUDESTE em direção às regiões NORTE/NORDESTE do país.
# conecta as rodovias federais atravessadas, BR-040, BR-116 (Norte e Sul), BR-465 e BR-101 (Norte e Sul).
# desvia o tráfego de veículos comerciais de longa distância, aliviando os principais corredores metropolitanos, tais como a Avenida Brasil, Ponte
Rio-Niterói, BR-101 (entre Manilha e Ponte).
# amplia a acessibilidade aos Portos de Itaguaí e Rio de Janeiro.
# viabiliza a implantação de terminais logísticos, com redução dos tempos de viagem e custos de transportes, bem como a distribuição destas cargas para os mercados consumidores.
# introduz novos vetores de expansão urbana para os municípios localizados em sua área de influência.

ETAPAS DO PROJETO:
Contorno Rodoviário da Cidade do Rio de Janeiro, com cerca de 146km em pista dupla.

Solenidade de início das obras em 12/05/2008:
Recursos na ordem de R$ 700 milhões serão aplicados pelo DNIT
O Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o Ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, acompanhados do Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, do Diretor–Geral do DNIT, Luiz Antonio Pagot, e demais autoridades, participaram na tarde desta segunda-feira (12), na cidade do Rio de Janeiro, da solenidade de assinatura da ordem de serviço que autoriza as obras de implantação do primeiro trecho do Arco Rodoviário do Rio de Janeiro.
O empreendimento, orçado em R$ 928 milhões, faz parte de um convênio assinado entre os governos federal e estadual que prevê a implantação do trecho de 70,9 quilômetros entre o entroncamento da BR-101, próximo ao Porto de Itaguaí, até a BR-040. Do valor total da obra, R$ 700 milhões serão investidos pelo Governo Federal por meio do DNIT, e os R$ 228 milhões restantes serão aplicados pelo Governo do Estado, responsável pela execução da obra.
O Arco Rodoviário (BR-493) ligará o Porto de Itaguaí ao trecho da BR-101, em Manilha, contornando a Baia de Guanabara. Com conclusão prevista para o final de 2010, essa obra criará corredor de transporte que irá retirar das vias urbanas da capital fluminense todo o tráfego de caminhões pesados, com direção ao Porto de Itaguaí ou ao litoral norte do Estado.

LINK PARA O DISCURSO DE SERGIO CABRAL:
https://www.imprensa.rj.gov.br/SCSSit....asp?ident=269

FOTOS DA OBRA:
Trecho Adrianópolis (Nova Iguaçu – RJ)
Créditos: Ignácio Ferreira & Carlos Magno

LINKS DAS FOTOS:
https://www.imprensa.rj.gov.br/SCSSit...?PC=09/07/2009
https://www.imprensa.rj.gov.br/SCSSit...sp?ident=52869

VÍDEOS DO PROJETO:
https://www.imprensa.rj.gov.br/SCSSit...sp?idvideo=852

Video do Projeto: Sistema FIRJAN > https://youtu.be/fXk9b26OZcc

Fonte: https://oglobo.globo.com/rio/mat/2009...-756879349.asp
Vídeo bem interessante a respeito dos sítios arqueológicos encontrados nas obras: https://oglobo.globo.com/rio/video/2009/13369/

Para quem se interessar mais, deixo o link para alguns PDF's interessantes sobre o projeto:
https://www.puc-rio.br/pibic/relatori...o_priscila.pdf
https://www.observatoriodasmetropoles...o_carneiro.pdf
https://www.iirsa.org/BancoMedios/Doc...rodoviario.pdf
https://www.tesouro.fazenda.gov.br/hp...rojeto_STN.pdf
https://www.tesouro.fazenda.gov.br/hp...nexos_Arco.pdf
https://www.firjan.org.br/lumis/porta...2121AE99834894

Threads relacionados:
https://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=577269
https://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=919620
https://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=647636

Fotos Luiz Calderini

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!