CICLUS PROMOVE SALTO DE SEROPÉDICA NO RANKING DE ICMS VERDE DO ESTADO

30/01/2013 19:00

Este ano, município vai receber R$ 1,1 milhão de repasses por conta do funcionamento da central de tratamento de resíduos da empresa

 

A Central de Tratamento de Resíduos – CTR Rio vem protagonizando mudanças ambientais de impacto positivo na região, desde que começou a funcionar em Seropédica, em abril de 2011. Projeto da Prefeitura do Rio de Janeiro, decorrente de contrato de concessão com a Comlurb para transferência e destinação final adequada dos resíduos do município, a CTR Rio é implantada e operada pela Ciclus. Além de receber e tratar adequadamente os resíduos sólidos do município do Rio de Janeiro, a CTR tornou possível o fechamento do Aterro de Gramacho e de três lixões a céu aberto: Seropédica, Itaguaí e Mangaratiba. Hoje, a Central recebe cerca de 9 mil toneladas de resíduos destes municípios e de clientes particulares.

Essa operação fez Seropédica subir no ranking de ICMS Verde do Estado. Foi o maior salto na tabela de repasses, passando do 86º para o 52º lugar. O transporte, o tratamento adequado e a destinação final de resíduos domiciliares e industriais realizado pela Ciclus na CTR Rio contribuíram no novo cálculo de repasse de ICMS Verde para o município, que passou de R$ 70 mil (montante recebido em 2012) para R$ 1,1 milhão este ano.

“A implantação do aterro sanitário da Ciclus em Seropédica resultou em mais recursos para o município.”, afirma Paulo Dutra, diretor-presidente da Ciclus. “Temos nos dedicado com empenho e eficiência na preservação de toda a área onde está instalada a CTR Rio. Além da tecnologia aplicada para proteger o solo, também implantamos um cinturão verde com mudas de plantas nativas em torno da central”, acrescenta.

Alta tecnologia

O solo da Central de Tratamento de resíduos, CTR Rio, recebeu tripla impermeabilização de base reforçada, utilizando argila e dupla camada de mantas de polietileno de alta densidade, para proteger o lençol freático em caso de vazamento de chorume . Também são utilizados sensores eletrônicos que detectam qualquer tipo de anomalia no sistema de impermeabilização. Dessa forma, evita-se que o chorume gerado pela decomposição dos resíduos entre em contato com o solo. A Central é a primeira da América Latina a contar com esse tipo de tecnologia. Há, ainda, uma rede de poços de monitoramento, que permite avaliar e detectar se há alguma contaminação. Esses recursos de controle de qualidade ambiental tendem a se tornar referência até para os órgãos ambientais.

Além de tratar os resíduos, a CTR Rio investe em projetos socioambientais e possui um Centro de Educação Ambiental - CEA, espaço criado especialmente para receber a comunidade, gerando conhecimento e consciência ambiental para as atuais e novas gerações. Nele acontecem inúmeras atividades educativas voltadas para a temática ambiental. Desde outubro de 2010, o CEA tem sido um espaço de conhecimento para pessoas de todas as idades. Lá, são realizados diversos cursos e oficinas sobre boas práticas sustentáveis, teatro, artes plásticas, jardinagem e reciclagem. Só em 2012, foram 1.300 participações de moradores em 80 oficinas que abordaram temas como Brinquedos com Material Reciclável, Reaproveitamento de Papel, Jardinagem e Artes.

 

ICMS Verde

Criado em 2007, o Imposto Sobre Circulação de Mercadores Verde (ICMS Verde) tem dois objetivos principais: ressarcir os municípios pela restrição ao uso dos territórios e recompensar os investimentos ambientais feitos por essas prefeituras. Os fatores que entram no cálculo levam em consideração o que cada cidade investiu em áreas de conservação, tratamento de esgoto, mananciais de abastecimento, destinação de lixo e remediação de lixões. Atualmente, 16 estados no país possuem este recurso de incentivo fiscal.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!